Monday, February 18, 2008

Prescrição

Três por dia e nada mais. Ele tomava cinco e não acontecia nada. A angústia não passava o sono não vinha, a cabeça rodava os mesmos pensamentos sem trégua. Por isso obrigou-o a tomar o vidro todo, deveria provar do próprio veneno, antes de morrer.

2 comments:

Angela said...

Este não ficou claro para mim!
gostaria de ter compreendido melhor!

Ana Mello said...

Oi Angela!Ele matou o médico. Os remédios não atenderam o prometido.
:)
Adorei o blog do Carlos Barbosa, que estava linkado no blog que citava o Jules Renard.
Beijocas da Ana Mello.