Tuesday, October 17, 2006

Substância



João acostumou-se a trabalhar duro desde cedo. Apesar da vida não lhe dar moleza, seu coração era leve e singelo. Suas mãos, ásperas e fortes. Há anos trabalhava no lixo. Catar, separar, vender.
Já tinha visto de tudo. Fotos, roupas, livros, pássaros e cachorros mortos. Um feto, humano. Neste dia ele teve certeza – o homem dilui-se no lixo.

3 comments:

Luiz Alberto Machado said...

Oi,Analinda, adorei este seu espaço, esplendidamente lindo e apaixonante.
Beijabrações
www.luizalbertomachado.com.br

LEONARDO DE MORAES said...

Gostei do teu comentário... Bom te conhecer. Abraços, Leonardo de Moraes.

rubo medina said...

Ana, estou percebendo um certo humor negro dos seus contos. Bem construídos e inteligentes. Tens asssistido Desperate Housewives?
Parabéns.